+ - L T

Notícias

Direitos Humanos

29/10/2018




CRPRS emite nota de pesar pela morte do ativista trans João W. Nery  

O CRPRS manifesta seu pesar pelo falecimento do psicólogo, escritor e ativista LGBTI João W. Nery, 68, ocorrido na sexta-feira (26/10) no Rio de Janeiro. Nery, que foi o primeiro homem transexual a passar por uma cirurgia de redesignação genital no país, de forma clandestina, em 1977, lutava contra um câncer de pulmão desde agosto de 2017.

Símbolo da luta pelos direitos das pessoas trans no Brasil, João Nery é autor do livro autobiográfico “Viagem Solitária: memórias de um transexual 30 anos depois” (2011). O escritor ainda trabalhava na obra “Velhice transviada”, que deixou incompleta. 

O ativista foi um dos palestrantes do Encontro Gaúcho da Psicologia, realizado em agosto em Porto Alegre promovido pelo CRPRS. Foi a última aparição pública de Nery, que em setembro teve de ser internado no Complexo Hospitalar de Niterói (RJ) devido ao agravamento do seu estado de saúde.

A participação no Encontro foi marcada pela emoção. Aplaudido quatro vezes durante a conferência “As subjetividades nas transmasculinidades”, Nery chorou ao final do encontro diante da receptividade da plateia, que lotou o Teatro Dante Barone, na Assembleia Legislativa.

Histórias de vida como a de João Nery e de milhares de outras pessoas trans, marcadas pela exclusão relacionada à identidade, à sexualidade e à afetividade, motivaram a edição em janeiro deste ano da Resolução CFP 01/2018.

“Fui criado aos trancos e barrancos e não queria crescer porque sabia que meu futuro seria terrível. Mas me formei, lecionei em universidades e tive consultório particular até cair na clandestinidade, devido à nossa condição marginal. Os transgêneros existem apenas para atestar que o normal é a cisgeneralidade”, disse durante sua conferência.   

A Resolução CFP 01/2018 orienta a atuação profissional de psicólogas e psicólogos a partir do pressuposto, corroborado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), de que as travestilidades e as transexualidades não são doenças ou patologias, não sendo permitidas práticas psicológicas voltadas à “cura” de tais condições.

A Resolução afirma que compete a psicólogas e psicólogos, nos diversos campos do exercício profissional, o atendimento voltado à promoção da vida, do bem estar e da dignidade de pessoas travestis e transexuais, contribuindo para a eliminação de qualquer forma de preconceito ou discriminação contra essa população. 

O CRPRS também presta sua solidariedade à família de João W. Nery, nas pessoas de sua companheira, Sheila Salewski, e de seu filho.

Busca de notícias:

  • 10º Congresso Nacional da Psicologia
  • Dia da/o Psicóloga/o 2018
  • Encontro Gaúcho da Psicologia
  • Diversidade
  • O seu terapeuta é psicólogo?